Meu Jardim Interior — Um mundo de experiências!

CARTÃO POSTAL COMO SOUVENIR EM VIAGENS

19 • 10 • 2017
  1. Olá, pessoal! Tudo bem? Confesso que escrever esse post sobre cartão postal como souvenir em viagens é apenas uma desculpa pra eu falar sobre algo que eu amo: sim, os benditos cartões postais.

Acontece que em 2004, quando eu tinha somente 9 anos, estava saindo de casa pra ir à escola, quando abro a caixinha do correio e tinha algo diferente ali. E pela primeira vez era pra mim! Mal pude conter minha felicidade ao receber meu primeiro cartão da vida, que foi enviado pela minha tia Bi (quem me incentivou a amar cartões postais e cartas), pra me convidar pro aniversário do meu primo Luís Felipe.

Lembro até hoje que eu coloquei ele na mochila e, chegando na escola, mostrei pra vários dos meus colegas, de tão empolgada que fiquei. Guardei ele até hoje e, desde então, coleciono cartões postais. Tenho poucos e confesso que o que mais gosto neles não é necessariamente a foto. E sim o significado que eles carregam. Aqueles que minha amiga trouxe de Londres me fazem lembrar de como ela estava antes da viagem e depois; o de Buenos Aires que minha amiga Ari me deu me lembra o quanto eu, na segunda vez que a gente se via como amigas, fiquei surpresa em receber mimos dela da viagem, etc. Eles despertam memórias em mim e é isso que eu mais gosto. Mas confesso que eles também fazem eu sentir que guardo um pedacinho da pessoa/do momento comigo. 🙂

ccac

Esse é o postal que minha tia me enviou. Guardo até hoje.

Daí que uma coisa que eu amo fazer é escolher algumas pessoas para enviar cartão postal quando viajo. Acredito ser bem mais intimista e quando as pessoas recebem, a reação delas é sensacional e eu fico contente de levar um pouco dessa “magia” pras pessoas. Fiz isso quando fui pra Florianópolis, pra Curitiba e agora pro Chile também.

uhu

Eu com alguns cartões postais no Correo do Chile, enquanto estávamos escrevendo as mensagens e os endereços no verso.

Quem aí também ama postal? Quem já recebeu algum meu? Quem quer receber um da minha próxima viagem?

Com amor, Li.

Postado por Lilian

EL COLORADO: NOSSA PRIMEIRA VEZ ARRISCANDO NO SKI

05 • 10 • 2017

Olá, pessoal! Tudo bem? No último post fizemos um pequeno roteiro de passeios por Santiago. Já no post de hoje vamos contar como foi nossa experiência na estação de ski El Colorado. Vem comigo?

O Chile tem diversas estações de ski e um ponto muito positivo é que 3 delas ficam bem próximas a Santiago, o que nos permite fazer um passeio pra matar a vontade de conhecer a neve e, de quebra, arriscar um pouco no ski ou no snowboard.

  • Farellones: quando você está subindo as montanhas sentido estações de ski, encontrará primeiro Farellones. Essa estação de ski é ótima para crianças e adultos que querem se divertir na neve, já que tem diversas atividades como tubing e tirolesa. É possível esquiar também e possui as melhores pistas para iniciantes. De todas, é a mais barata.
  • El Colorado: é a estação intermediária, fica entre Farellones e Valle Nevado. Possui poucas pistas para iniciantes, tendo mais foco em pistas intermediárias.
  • Valle Nevado: possui pistas mais avançadas para o ski, por isso não é muito aconselhável para iniciantes, exatamente por ser a última pista e, consequentemente, a maior delas. Lá acontecem muitos campeonatos. Possui uma gôndola (teleférico) que pessoas que não estão esquiando podem pagar pra usar e é a mais cara das estações.

Nós escolhemos essa estação por dois motivos: nosso objetivo era esquiar então queríamos uma com boas pistas, o valor era médio (mais caro que Farellones e mais barato que Valle Nevado) e parecia ser uma boa opção pra gente. Fechamos o pacote com a Sousas Tour e pagamos 97.000 pesos por pessoa ~ o equivalente a 500 reais. No nosso pacote estava incluso transfer + aula de esqui + equipamento. Gostamos muito do trabalho deles e nossa guia era muito atenciosa (Fer).

Voltando…

Acordamos atrasados e corremos para nos arrumar pra descer. Acontece que quando descemos para o hall do prédio, recebi uma mensagem dizendo que a van foi pegar os outros passageiros, já que não havíamos descido. Em pânico, enviei mensagens pra eles explicando o ocorrido e nos acalmaram dizendo que a van voltaria a passar no nosso hotel uns 5 minutos depois. Ufa! Já estava triste achando que não ia rolar esqui pra gente…

Quando nossa van chegou, levamos a maior bronca da nossa guia e sério, fiquei morrendo de vergonha. O pior é quem praticamente levou a bronca sozinha fui eu, primeiro porque eu que fiz as reservas e segundo porque o Dan não fala espanhol e se fez de morto. HAHAHAHAHAHA

Tirando isso, foi tudo muito tranquilo. Passamos para buscar os outros passageiros e partimos pra loja de aluguel de roupas e equipamentos. Atenção: verifique se as roupas e os equipamentos realmente estão em um tamanho bom pra você! A loja lota e eles não ficam muito preocupados com isso, pra ser bem sincera.

Após quase 1h pro grupo todo colocar as roupas e ajustar o equipamento, voltamos pra van em direção às montanhas. E aí que começou a emoção, já que passamos por mais de 40 curvas bem acentuadas. Eu confesso que dormi pra não ter vontade de vomitar…

E quando você menos espera… tcharán! Chegamos finalmente lá… E descemos todos da van para pegar nossos ticket do dia. Advinha quem achou fofo e guardou de recordação? 😛 Após pegarmos nossos tickets, fomos separados entre a turma que iria fazer aula de ski e a turma que faria de snowboard. Eu fui pra de ski e o Dan pra de snow.

MINHA EXPERIÊNCIA COM O SKI

E já começamos aqui só dizendo… nunca levei tanta bronca de um professor na vida! Eu estava me cagando de medo de cair e ele decidiu pegar no meu pé do começo ao fim… Mas posso ser sincera? Amei isso. Porque senão eu teria desistido, mesmo. Lembro só dele dizendo “do que você tem tanto medo?” ai eu respondia que era de cair e ele ia lá e se jogava no chão. No fim, você só perde o medo depois que leva o primeiro tombo e vê que tudo bem cair! E agradece pela neve absorver parte do impacto, HAHAHA.

A única coisa que eu confesso ter detestado era o meio de elevação. Eu não sabia sair daquele negócio e sempre caia pra sair, hehe. Tirando isso, só consigo dizer o quanto foi sensacional!

Quando você encaixa as botas no ski e começa a deslizar na pista… é surreal o sentimento. Eu só ficava pensando “eu estou conseguindo! estou conseguindo!” e quando olho pra trás relembro a sensação deliciosa que é finalmente fazer algo que você achou que nunca faria. E sim, eu levei muitos tombos. Mas eu sorria e me enchia de orgulho quando chegava ao final da pista sabendo me equilibrar e sem cair.

Pequenas vitórias, sabe? Essa aula de ski me mostrou a verdadeira face e importância delas. Elas nunca significaram tanto pra mim quanto naquele momento.

IMG_3938

Legenda: estou conseguindo descer sem cair!!!!!!!! (será que dá pra gritar pro mundo inteiro ouvir?)

IMG_3914

Legenda: alegria de pobre dura pouco mesmo mas ahhhh que mesmo caindo isso aqui é delicioso! (só não é delicioso tirar o ski, ficar de pé e encaixá-lo de novo, mas aí é outra história hehehe)

Ah! Uma coisa interessante é que você acha que vai morrer de frio, né? Mas quando você sobe na pista e praticando o esporte, acaba suando MUITO e na verdade você sente é calor! Por isso, não coloque muita roupa debaixo da roupa pro ski. Um conjunto de roupa térmica está mais do que suficiente.

A EXPERIÊNCIA DO DAN COM O SNOWBOARD

O Dan já praticava skate aqui em SP e ele acredita que sua experiência tinha sido mais fácil por esse favor. E realmente: ele subiu muito mais a montanha do que eu e se jogou na experiência – ao invés de ficar todo medroso (como eu fiquei). E isso teve dois resultados: o primeiro é que ele descia muito melhor do que eu e mais rápido também, realmente fazendo algumas manobras na neve. E o segundo é que quando ele capotava, dava até medo por causa da velocidade com a qual ele descia… Tanto é que ele ficou morrendo de dor no cóccix por causa dos vários tombos que levou.

IMG_3940

Legenda: ah, muleke! Que eu tô me achando o cara deslizando bonitinho assim na pista 😛

IMG_3932

Legenda: quem me vê assim nem imagina os tombos que eu levei…

NOSSA EXPERIÊNCIA

Mas uma dificuldade foi a mesma: o meio de elevação deles era péssimo pra sair, tanto pra mim, quanto pra ele! Não era teleférico, nem gôndola e sim um ferrinho que apenas te dava impulso pra subir montanha acima e do qual era péssimo conseguir sair 🙁

Ponto positivo pro snow? As botas são muito mais leves e práticas pra andar do que as do ski! E isso faz muita diferença, acredite… Porém mesmo assim, eu ainda continuo com vontade de me aperfeiçoar no ski. <3

E é isso! Minha dica do coração é: não deixem de tentar esquiar ou fazer snowboard por medo. Se vocês tem essa vontade, curiosidade… tentem! É uma experiência libertadora, na real.
E só fechem pacotes que prometem visitar duas estações de ski em um único dia se sua intenção for só ter um contato com a neve e tirar fotos. Se for esquiar ou brincar realmente na neve, se concentre em uma única estação.

Todas essas fotos foram tiradas pelo Léo, que fez uma parceria com a Sousas Tour. Pagamos 25000 pesos (cerca de 120 reais) o casal pelas nossas fotos. E foram os pesos mais bem gastos dessa viagem porque ter essas fotos maravilhosas na neve… não tem preço! Então segue agora a surra de fotos desse dia maravilhoso…

IMG_3927 IMG_3951
IMG_3952

IMG_3963

IMG_3943 IMG_3960

Legenda: não consigo pular com essas botas do robocop 🙁

IMG_3976 IMG_3910

Esquiar/fazer snow é como voltar a ser criança e brincar de tal forma que você fica morto de cansado no final e só quer a sua cama, mas também fica extremamente feliz por ter vivido aquilo. É como um dia alegre na piscina ou em um parque de diversões. E o sentimento que fica é a ansiedade pela oportunidade de esquiar de novo! E se eu puder, quero esquiar várias vezes da próxima vez, pra matar essa vontade de esquiar até não aguentar mais. Quem sabe em breve, não é mesmo? 😛

Quem aí também morre de vontade de conhecer a neve? Quem já conheceu? Conta sua experiência pra gente! <3

Com amor, Li.

P.S.: entenderam agora por que foi nosso melhor gasto na viagem? Olha só essas fotos! <3

Postado por Lilian

O QUE É DOAÇÃO E AJUDA PARA VOCÊ?

02 • 10 • 2017

Olá, pessoal! Tudo bem? Intercalando com os posts de viagem, hoje meu objetivo é te fazer refletir. O que é doação e ajuda para você?

IMG_4008(Foquei no lugar errado, mas isso não tira a alegria de tirar uma foto com essa folha)

As meninas do negócio social Com Lola debateram essa ideia no Encontro de Fotografia Analógica que fizemos no comecinho do mês. O interessante é que eu não encontrei, naquele momento, a resposta para essa pergunta. Enquanto muitas pessoas já tinham uma resposta pra isso, em mim aquele debate serviu como reflexão e como faísca.

Daí que outro dia eu estava no ponto de ônibus, voltando da faculdade e refletindo sobre a vida, quando me veio aquele “plin!” de uma nova ideia chegando e nada mais nada menos era do que a resposta pra essa pergunta. O engraçado é que eu nem estava mais pensando nela, mas ela veio mesmo assim.

A intenção dessa reflexão é, na realidade, perceber como você enxerga ajudar e doação e a partir dessa descoberta, te fazer refletir se você não quer dar um novo significado a essa palavra e aplicá-lo de maneira diferente na sua vida. Vamos lá?

DOAÇÃO

A nossa sociedade tem cultivado muito a ideia de que doação está relacionado a doar coisas que não possuem mais utilidade para nós. Temos a tendência de separar para doação roupas que não nos servem ou que não tem mais a ver com nosso estilo e até aí, tudo bem. Eu realmente gosto dessa prática e a realizo sempre. E se formos pensar que doando nossas coisas para outras pessoas e recebendo também, temos uma necessidade menor de consumir novas coisas e assim, usar mais ainda dos recursos naturais que estão disponíveis para nós. ~afinal, esses recursos são limitados, né galera?

Só que no tópico da doação nós encontramos dois conflitos. O primeiro é que doação não tem que ser somente de coisas usadas. E nós precisamos dar um novo significado a essa palavra por causa disso. Pressupor que doação é só de coisa usada limita muito o que ela na realidade poder ser. Quer um exemplo? Minha mãe sempre que vai fazer compras no supermercado compra alguns itens para doar a um moço que passa aqui toda semana pedindo comida.

Esse exemplo não foi o suficiente? A minha afilhada estava precisando de roupas de frio, porém a mãe dela não estava em condições de comprar. Então eu comprei algumas peças e doei à ela. Não considero um presente pois presente a gente dá pra alegrar a outra pessoa, no caso, eu doei pois tinha como objetivo ajudá-la em sua necessidade.

O segundo conflito é que: doação não é só para quem é pobre E não é só para ajudar alguém. Comprei um vestido lindo na Khelf porém não consegui usar ele mais que duas vezes já que o fato de ele ser curto me incomodava. O que eu fiz? Doei para uma amiga que tinha tudo a ver com ele e já imaginei que seria uma boa pra ela ir em baladas. Ou seja: vamos ampliar a doação! É legal você doar para quem tem mais necessidade? É! E eu sempre deixo muita coisa separada para essas pessoas. Mas porque não ver se as coisas que você vai doar não tem algo a ver com uma amiga, prima, conhecida? Essa troca entre pessoas é muito rica e incentiva a diminuição do consumo.

O terceiro conflito diz respeito ao fato de que… não doe o que você não gostaria de receber. E isso não é sobre o estilo, mas sim sobre as condições do objeto que você está doando. Você gostaria de receber um brinquedo quebrado? Uma roupa furada ou manchada? Eu não. E daí surge aquele princípio de “não faça aos outros o que não gostaria que fizessem com você”. Acho que esse tópico dispensa palavras, né? Quando a roupa estiver desgastada joga no lixo ou usa de pano de chão. Se o brinquedo estiver quebrado, envie para o conserto. Tenhamos um pouco de bom senso…

Uma outra coisa que temos feito é incentivado a doação/ajudar não unicamente pelo bem que ela vai levar a outras pessoas, mas sim pela forma como você vai se sentir. Um bom exemplo? “Faça trabalho voluntário, você vai sair de lá se sentindo em paz e renovado”. E geralmente é a busca por esse sentimento que nos faz realizar trabalho voluntário e não o que realmente estaremos causando com ele.

Não, eu não estou te julgando. Acredite, eu também entendo doação e ajuda como essas coisas. A única diferença é que eu escolhi refletir sobre isso e mudar o significado disso na minha vida. E é aí que entra a resposta pra pergunta:

O que é ajudar para você?

E ajudar de maneira genuína é para mim, quando você se coloca no lugar do outro em toda e qualquer situação pela qual ele está passando e faz por ele o seu melhor. Mas como garantir que você está fazendo o seu melhor? Fazendo exatamente o que você gostaria que fizessem por você caso você estivesse na mesma situação.

Que a gente possa enxergar qualquer forma de transformar a vida de alguém 0,1% para melhor como ajuda. E que possamos formar uma corrente do bem de pessoas que se ajudam. É como dizem: sozinho eu vou mais rápido, porém com mais pessoas eu vou mais longe. As oportunidades para ajudar as pessoas estão aí, por toda a parte. Seja ensinando sua amiga que é ruim em matemática a resolver alguns exercícios; dando água e ração pra um gatinho que apareceu no seu quintal… A gente só precisa enxergá-las.

E se nós pararmos para pensar por um minuto: estamos fazendo pelos outros o que gostaríamos que fizessem por nós? Estamos dando nosso melhor?

E foi essa reflexão que me fez ressignificar a palavra ajuda no meu vocabulário. E também me fez sonhar com um mundo onde a gente realmente entregasse o nosso melhor e onde consequentemente recebêssemos o melhor das pessoas. Mas como dizem: pra melhorar o mundo precisamos começar por nós mesmos. Eu comecei a minha jornada e você?

Com amor, Li.

Postado por Lilian
Nas tags: /

Meu Jardim Interior • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por