Meu Jardim Interior — Um mundo de experiências!

COMO É SER MÃE DE FELINOS

15 • 03 • 2017

IMG_0328

Ela escolheu ser minha filha e eu? Escolhi ser mãe dela. Levada que só, recebeu o nome de Pipoca. Quando filhote, adorava entrar debaixo nas cobertas durante a madrugada e mordia o pé de todo mundo. Não cansava enquanto não nos acordasse em plena madrugada. E por que? Ela só queria brincar…

Mas o tempo passou e ela foi ficando mais velha… 7 anos ela tem. Chego em casa dizendo “filha, cadê você?” e ela me responde com um “miauuuuuuuuu” que mais parece o uivar de um gato. Tenho quase certeza que é “aqui mamãe, vem dar minha tumida, vem”. Grude que só, dorme no pé da minha cama. Às vezes eu acordo com os olhos dela em cima da minha cara, levo um susto e logo em seguida assusto ela com a minha gargalhada.

pipoca1

Se estou em casa, ela fica aonde eu estiver. Se vou pra sala? Ela me segue, fica lá me fazendo companhia. Se ela quer que eu vá pro quarto com ela? Fica miando e indo pro quarto e voltando, até eu me tocar. Se passo alguns dias fora, ela mija em algum lugar no quarto que é pra registrar sua revolta. Normalmente é debaixo da minha escrivaninha, pra eu saber que a culpa é minha. Fez cocô na caixinha de areia? Mia até eu tirar.

Bebe mais água que eu e eu não seguro a risada com o barulho dela bebendo água: é fofo e engraçado ao mesmo tempo. Ela é fina, só come da ração cara. Se compro da mais barata ela faz greve de fome, hahaha. Se estou deitada do lado dela na cama e ela quer carinho, fica batendo o rabo em mim (que eu carinhosamente chamo de espanador, porque realmente parece um!) até eu fazer carinho nela.

pipoca2

Às vezes ela sai, vai dar um rolê e volta de madrugada. Volta como? Miando que nem uma louca, pedindo comida. “Me sirva, humana” é provavelmente a tradução para seus miados. Não come nada a não ser ração, o que é maravilhoso, pois posso comer um pedaço de picanha do lado dela que ela não tá nem aí… “Morra com toda essa gordura”, ela pensa.

Anti-social, gosta de ficar sozinha ou perto de poucas pessoas. Adora que eu fique cheirando ela, fazendo carinho no pescoço ou na cabeça. Como somos parças, de vez em quando ela me dá uma lambidinha, em um claro sinal de “tó um pouquinho de amor em forma de migalhas, mamãe”.

E a gente segue assim, nessa relação de amor desigual, mas sem igual.

Miau! Com amor, Li.

Postado por Lilian

QUERO DOAR SANGUE. COMO FUNCIONA?

14 • 03 • 2017

doe_sangue

Já doei sangue 3 vezes. Uma vez com o Dan, outra sozinha e uma terceira vez com meu amigo Fábio. Todas as vezes eu doei, aqui em SP, no Hospital das Clínicas (inclusive indico ele para quem mora em sampa). Daí que eu e o Fábio fomos doar sangue duas semanas atrás e eu tive a ideia de vir aqui e contar pra vocês como é doar sangue. Muitas pessoas não doam por medo ou por não saber como funciona. Se você é uma dessas pessoas que nunca doou, vem comigo que eu te mostro como é!

REQUISITOS PARA DOAÇÃO

  1. Estar em boas condições de saúde;
  2. Ter entre 16 e 69 anos de idade;
  3. Pesar no mínimo 50kg;
  4. Estar alimentado;
  5. Apresentar documento original com foto recente, emitido por órgão oficial (RG, CNH)

1. ESCOLHA UM LUGAR PARA DOAR

Após ver se você cumpre os requisitos listados acima, entre nesse link aqui, onde você poderá ver todos os hemocentros do Brasil. Escolha um lugar para doar e verifique o horário de atendimento. Com isso feito, planeje um dia para você ir doar.

2. É PRECISO FICAR EM JEJUM PARA FAZER DOAÇÃO?

Não! Na verdade eles aconselham que você esteja bem alimentado para realizar a doação. A única coisa que pedem é que não coma coisas muito gordurosas horas antes de doar.

3. CHEGUEI LÁ, O QUE TENHO QUE FAZER?

Primeiramente, eles farão um cadastro com teus dados. Depois eles retirarão uma gota de sangue do seu dedo, pra ver se você não tem anemia. Logo em seguida irão medir sua pressão e temperatura. E te entregarão um cartão como esse daqui:
doe_sangue (2)
Daí você vai aguardar por uma senha até ser chamado. Quando te chamarem, você vai passar por uma rápida entrevista, onde eles farão algumas perguntas mais pessoais, como se você toma algum remédio continuamente, se possui alguma doença, etc. Só então eles irão te encaminhar para a sala onde é realizada a coleta de sangue.

4. E COMO ACONTECE A COLETA DE SANGUE?

Você vai deitar numa espécie de cadeira gigante, daí eles vão higienizar o local onde a agulha será inserida e vão coletar uma bolsa de sangue de você. No meu caso, foram coletados 460 mL de sangue, além dos frasquinhos que eles separam com sangue para fazer alguns testes laboratoriais.

doe_sangue (3)

4. E DEPOIS?

Depois que você termina de encher a bolsa, permance uns 15 minutos deitado. Daí eles fazem um curativo no seu braço e indicam para você ir na cantina, onde terá direito a um lanche grátis. Ficou curioso sobre o que vem no lanche? Segue foto do lanche que recebi na minha última doação:

doe_sangue (4)

Era um lanche de peito de peru com queijo e manteiga e estava quentinho. Não sei porque, mas doar sangue dá fome e esse lanche foi muito bem vindo <3

5. É MINHA PRIMEIRA VEZ. TEM ALGO DIFERENTE?

A única coisa que muda é que dentro de alguns meses você receberá uma carta informando seu tipo sanguíneo. Achei isso legal pois eu não sabia qual era o meu, rs.

6. QUANTO TEMPO DURA TODO O PROCESSO?

Geralmente, todo esse processo que contei aqui dura 1 hora. É bem rápido, simples e fácil.

7. O QUE EU GANHO DOANDO SANGUE?

Com uma bolsa de sangue você pode salvar até 4 vidas. E eu não sei você, mas me dá muita paz e alegria saber que eu posso ajudar alguém. E é por isso que eu gosto de doar sangue: por saber que estou ajudando pessoas que precisam.

8. OBSERVAÇÕES

Neste link você encontra todos os requisitos, impedimentos temporários e definitivos para a doação 🙂

E aí, vai doar? Só não esquece de me contar depois, combinado?!

Com amor, Li.

Postado por Lilian

MOONLIGHT E MINHAS REFLEXÕES SOBRE

13 • 03 • 2017

CONTÉM SPOILER!

Moonlight

Nunca fiz post sobre filme aqui, né? Mas só decidi fazer esse post aqui pois assistir Moonlight me fez refletir sobre vários aspectos sociais e eu gostaria de dividir com vocês.

HOMOSSEXUALISMO

O primeiro ponto que mais me fez refletir foi sobre como Chiron percorreu um longo caminho até reconhecer que ele era gay. Vítima de uma sociedade machista e preconceituosa, desde criança, quando ainda não sabia quem era, foi chamado de bicha. Cresceu sem saber, na verdade, se gostava de mulheres ou de homens. Até que descobriu o que realmente gostava, mas por exercer um papel importante no tráfico, dentro daquela mesma sociedade machista e preconceituosa, nunca se assumiu. Nunca assumiu nem pra si mesmo. Até que, em dado momento, resolveu se dar a chance.

Fico pensando em como deve ter sido angustiante para ele querer ser algo, mas não ser por medo de mais represálias. E o quanto parece ser ainda mais difícil ser homossexual dentro de uma comunidade negra. Chiron cresceu sendo uma pessoa reprimida… E quantas outras pessoas não passam pelo mesmo? Casam-se com mulheres, para não terem que enfrentar suas famílias e a sociedade, porém sem conseguir controlar seus instintos, traem suas mulheres com amantes homens. Não são 2 ou 3 casos… São muitos!

Aqui me resta sentir solidariedade e a esperança de que vivamos em uma sociedade onde o livre arbítrio possa ser realmente executado. Precisamos mudar essa sociedade para que as escolhas dos outros sejam aceitas. Você é gay? Ok! É mulher e não quer ter filhos? Ok! A gente tem realmente tanta coisa mais importante na qual dar pitaco!

Pitaco se dá em política, em educação, em saúde, em segurança… Não na vida alheia 😉

POBREZA

Acho que uma das coisas que mais pensei no filme foi “que barra ser criado por uma mãe drogada”. Eu serei sincera aqui… Fui assaltada ano passado e fiquei numa paranóia muito grande. Com ela veio um ódio por quem tinha feito aquilo comigo, que por mim botava fogo em todos os presos das cadeias do país. Mas aí Deus acalmou meu coração e me ensinou a ter compaixão.

Fica difícil ter compaixão do cara que te assalta? Fica. Mas vamos olhar pelo outro lado? Que é exatamente o lado que retratam no filme. Chiron foi uma criança pobre, criado por uma mãe viciada, sofreu muito com bullying escolar e por ter toda essa pressão psicológica na mente foi parar em um reformatório. Após isso, conheceu de perto o mundo das drogas. Fortaleceu seu corpo para que passasse a impressão de forte. Se escondeu dentro de uma pessoa que não se permitia ser sincera ou aberta à ninguém, exceto talvez por sua mãe ou por Teresa.

Não estou dizendo que ele fez certo em ir para o mundo do crime. E se a gente só olhar pelo lado de fora só veremos ali um criminoso. Mas tira um minuto do seu tempo e tente se imaginar na pele dele. Se você fosse ele, concorda que ficaria à deriva? Eu confesso que eu poderia facilmente ficar.

E é somente tendo empatia pelo próximo que nós realmente poderemos mudar as sociedades injustas nas quais vivemos. É por meio da diminuição da desigualdade social que podemos diminuir a quantidade de bandidos no nosso país. Não é matando-os. É por meio da educação que criaremos cidadãos responsáveis e conscientes. Não é enfiando-os somente atrás das grades.

POR QUE? Concorda comigo que mesmo prendendo bandidos ou matando-os, novos bandidos irão continuar surgindo? Mas que se tivermos educação e uma sociedade igualitária onde todos tenham acesso as mesmas coisas, os mesmos direitos e oportunidades, a bandidagem vai ser drasticamente reduzida?

Para mim é claro que as melhores batalhas nunca foram vencidas com as melhores armas, mas sim com quem possuia maior inteligencia. Estamos nós deixando a nossa de lado?

Fica a reflexão!

Com amor, Li.

Postado por Lilian
Nas tags: / / /

Meu Jardim Interior • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por