TCHAU SANTIAGO, OLÁ MENDOZA

TCHAU SANTIAGO, OLÁ MENDOZA

05 • 11 • 2017

Oi pessoal, tudo bem? Bem-vindos ao 5º dia de viagem, sendo que à essa altura você já nos acompanhou chegando em Santiago, passeou conosco para Cajón del Maipo, conheceu os pontos turísticos da cidade, se divertiu na neve conosco na estação de ski El Colorado e de quebra se deliciou com a culinária chilena ao nosso lado. Porém, agora é hora de dar…

TCHAU, SANTIAGO!

Que começou, digamos, na correria para deixarmos as malas em ordem pra dar uma voltinha em Santiago antes de irmos ao aeroporto. Tomamos café da manhã correndo, deixamos tudo organizado no apartamento e corremos pro Mercado Central. A nossa intenção ao irmos pra lá era comprar alguns souvenirs. Acabamos comprando um globo de neve e dois imãs de geladeira apenas.

Íamos visitar o Museu da memória e dos direitos humanos, que aborda muito a questão da ditadura militar no país, mas não conseguimos visitar, por conta da correria. Porém, indico muito: vão! E me contem como foi depois.

Do Mercado Central passamos pela Plaza de Armas e de lá fomos para o Correo de Chile, onde compramos alguns cartões postais e preenchemos para enviar pra algumas pessoas queridas aqui no Brasil. E essa é uma das coisas que mais amo quando viajo: enviar cartões postais para quem gosto e surpreendê-los.

WhatsApp Image 2017-10-30 at 17.20.50

 

Então depois que saímos do correio, fomos correndo pro restaurante Liguria e… apesar de aparecer no Maps, aquela unidade ainda não havia sido inaugurada. Então tivemos que sair correndo pra outra unidade e aproveitei interiormente pra me despedir da cidade, do metrô, dos chilenos… Eu realmente amei essa cidade.

WhatsApp Image 2017-10-30 at 17.20.51

Que delícia é andar nessas ruas planas e, em um momento estar em um cantinho mais moderno e no outro estar em um local mais histórico… E apesar de nunca ter ido à Europa, me senti nela em muitos lugares de Santiago.

WhatsApp Image 2017-10-30 at 17.20.52

Metrô de Santiago sempre funcional e, apesar de lotado, muito bem organizado. Essa foto foi tirada num sábado, por isso a tranquilidade da estação. Lá você praticamente não precisa de táxi, pois o metrô passa pela cidade inteira.

WhatsApp Image 2017-10-30 at 17.20.51 (1)

Peguei essa folha no chão com a intenção de trazer pro Brasil, mas acabei esquecendo na mesa do restaurante mesmo. Agora fica a lembrança, né?!

Depois disso tivemos que sair correndo do restaurante, para passar na casa de câmbio e trocar reais por pesos argentinos (sim, preferi trocar por lá mesmo). Depois voltamos pro ap, para pegarmos nossas malas e irmos pro aeroporto. E confesso que uma das partes mais difíceis foi dar tchau pro nosso 502, que eu facilmente chamaria de casinha. <3

WhatsApp Image 2017-10-30 at 17.20.52 (1)

Descemos pro hall do prédio, chamamos um Uber e, em pouco tempo, chegamos no aeroporto. Compramos as passagens de Santiago para Mendoza com a cia Sky Airline, que é uma empresa low cost e que acabou saindo muito barato (uns 200 reais por pessoa). Daí quando chegamos no aeroporto a fila estava imensa, mas como chegamos meio atrasados, eles chamaram quem era do vôo de Mendoza pra ir na frente dos demais. Ufa!

Despachamos nossas malas, passamos pela imigração, nem passeamos pelo free shop dessa vez e ficamos aguardando nosso vôo do lado do guichê, enquanto eu carregava o celular e aproveitava pra usar a internet. Assim que liberaram pro nosso vôo fomos para o avião e esse foi o vôo mais louco que peguei em toda minha vida! Teve tanta mas tanta turbulência, que parecia que o avião ia cair e eu fiquei orando pedindo pra Deus cuidar da gente. Sabe aqueles brinquedos de parque de diversão que sobe e depois despenca no ar e dá frio na barriga? Foi essa a sensação! HAHAHAHA – mas isso é causado devido a Cordilheira dos Andes, tá? O avião não tava quebrado não galera, rs.

OLÁ, MENDOZA!

Chegamos em Mendoza já eram 19h (na verdade foram só 35min de vôo, mas o fuso de Santiago estava adiantado em 1h em relação à Argentina). Então pegamos um táxi logo na saída do aeroporto que nos deixou bem na porta do nosso prédio. E gente, que delícia que é quando você está no táxi indo pro seu destino e já consegue sentir a vibe da cidade. Senti isso com Mendoza… Mal botei meus pés na cidade e já sabia que eu ia amar. Mesmo estando triste por termos vindo embora de Santiago (e com a impressão de que a viagem já estava no fim apesar de ainda estar na metade), coloquei na minha mente que ainda íamos viver boas aventuras em Mendoza. E assim foi!

Entrando no prédio, tivemos um pequeno problema – que por uns bons minutos me deixou extremamente nervosa – que foi o fato de a mulher ter confundido as datas da nossa reserva.

No fim, ela conseguiu vaga em um outro ap no mesmo prédio, mas no dia seguinte teríamos que nos mudar pro nosso. O que foi inconveniente, já que não pudemos desfazer as malas. Porém, passado o ocorrido, tentamos encontrar um adaptador de tomada para vender no mercado e nas poucas lojas que ainda estavam abertas, mas não conseguimos. Nisso, estávamos com fome e fomos andando pro restaurante Fuente y Fonda, que nos acolheu igual casa de vó.

Mas nossa primeira noite em Mendoza foi curta. Logo após o jantar oltamos pro ap e caímos num sono profundo já que no dia seguinte teríamos passeio bem cedo.

Até o próximo post!

Com amor, Li.

Postado por Lilian
Nas tags: / /


Deixe o seu comentário

Uma resposta para "TCHAU SANTIAGO, OLÁ MENDOZA"

PASSEIO ALTA MONTANHA E NOSSO SEXTO DIA DE VIAGEM - 20 novembro 2017 às 22:03

[…] lá demorou cerca de 35min – ou seja: foi muito rápido! Mas isso vocês já conferiram no último post, né?! No post de hoje vamos conhecer um pouquinho mais dessa cidade montanhosa que é conhecida […]

Meu Jardim Interior • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por