CHEGANDO EM SANTIAGO: PRIMEIRO DIA DE VIAGEM

CHEGANDO EM SANTIAGO: PRIMEIRO DIA DE VIAGEM

13 • 09 • 2017

Oi pessoal, tudo bem? Quem aí quer conhecer Santiago?

Antes de iniciar esse post pra valer, só gostaria de deixar registrado que eu escrevo cada um dos posts aqui com todo o amor que há em mim. E espero que lendo esses posts de viagem, vocês viagem comigo. Assim como eu faço quando leio a experiência de outras pessoas. <3 e se vocês ainda não leram o primeiro post sobre a viagem, clica aqui que eu conto todos os passos que antecederam-na e o por que de escolhermos Santiago e Mendoza como destino.

Voltando de onde paramos: já havíamos deixado quase todas as coisas prontas pra viagem. O Dan então veio pra minha casa no dia 31.07 e, contra a própria vontade, me ajudou a terminar de arrumar minha mala de viagem. Aliás, queria eu saber enfiar tanta coisa na mala e ainda deixá-la organizadinha como ele faz. Obrigada, amor. Acontece então que eu comecei a pegar todas as coisas de última hora e: ufa! Conseguimos arrumar tudo certinho.

E apesar de estarmos muito ansiosos, fomos dormir um pouco pois o dia seguinte seria corrido e teríamos que acordar as 3h da manhã, pra irmos pro Aeroporto de Guarulhos e pegar o nosso vôo (que estava marcado para as 7h).

Então no dia 01.08 às 3h acordamos e pegamos nossas coisas pra irmos ao aeroporto. Meu tio tem carro e levou a gente – estávamos com medo de não ter Uber disponível esse horário perto da minha casa. Chegamos lá antes das 4h (atualmente eles indicam 3h de antecedência para vôos internacionais) e o aeroporto estava praticamente vazio.

WhatsApp Image 2017-09-04 at 00.06.44 (1)Qualidade ruim mas… sempre quis tirar uma foto como essa HAHAHAHA

WhatsApp Image 2017-09-13 at 14.36.57

Então nos direcionamos para o check-in da Aerolíneas Argentinas e quase não havia fila quando chegamos. Aliás, ainda tivemos que esperar dar 5h porque não tinha nenhum funcionário lá. Portanto: não precisava ter chego tão cedo… Mas logo fomos chamados, despachamos nossas malas e recebemos nossas passagens aéreas impressas.

Fomos então para a área de embarque internacional, que funciona da seguinte forma: tivemos que passar nossas mochilas pelo raio x, bem como nós mesmos passamos por um raio x. Depois disso, se estiver tudo certo, te liberam pra área de imigração. Como não tínhamos passaporte, fomos atendidos em umas cabines, onde fizeram nosso cadastro e liberaram nossa saída para a sala de embarque. Dica: o processo é muito mais rápido pra quem tem passaporte! Você passa em uma espécie de “câmara” que confere automaticamente sua foto do passaporte e acho que a digital também e em 1 minuto você já está liberado.

Fomos então pra sala de embarque e andamos por lá em busca de um lugar legal pra comer. Porém, perto da gente não tinha nada bacana e fomos andando, por uns 15 minutos, até o portão 3 (estávamos no 2) pra tomar café da manhã em um Viena. E tirei a tão sonhada foto:

WhatsApp Image 2017-09-04 at 00.06.44

Sei que parece besteira, mas eu sempre quis uma foto assim. E sempre quis passagens aéreas tipo cartão (e não aqueles tickets de mercado HAHAHA) ou seja: já guardei como souvenir 😛

Então fomos direito para o nosso portão de embarque e entramos no avião.  A delícia de viajar pela manhã é que depois que o avião ultrapassa as nuvens, há um céu delicioso: azul e repleto de nuvens pra você se extasiar. <3 E cerca de 2h depois desembarcamos em Buenos Aires, onde ficamos enrolando por umas 3h até nosso vôo para Santiago. E aqui entram duas dicas:

Duty Free: na maior parte das vezes o preço é abusivo e não compensa comprar nada por lá. Porém, de vez em quando, você encontra umas promoções. Quando é assim, compara o valor do Brasil com o que está no Duty Free. O Dan comprou um perfume da Calvin Klein pela metade do preço.

Conexões: são chatas! Se a diferença no valor das passagens for pouca, evite-as. Você não vai ter nada pra fazer por lá e o valor da comida é absurdamente caro. Eu e o Dan havíamos levado Pringles e amendoim do Brasil e esse foi nosso almoço.

Daí logo chegou o horário do nosso próximo vôo e nós embarcamos com destino a Santiago. Chegando lá, tivemos que passar pela PDI (que no caso é a polícia chilena), onde fizeram um cadastro nosso e nos deram um ticket de entrada no país. Fiquem atentos: se você perder esse ticket de entrada não consegue sair do país! Então guarde em um local seguro e esteja com ele quando for sair do país novamente. Quem tem passaporte não recebe esse ticket, ao invés disso, recebe apenas o carimbo no passaporte.

Após isso fomos para a esteira buscar nossas malas e então tivemos que preencher um documento para a vigilância sanitária. O Chile é um país muito rigoroso com isso… Portanto, se você estiver carregando na sua bagagem qualquer alimento de origem vegetal ou animal, declare! O máximo que vai acontecer é jogarem fora. Se você não declarar e eles pegarem tal alimento, terá que pagar uma multa bem cara.

Logo no aeroporto sentimos o “baque” de estar em um outro país. É muito louco e incrível estar em um lugar onde você só ouve outra língua – no caso era o espanhol. Tentamos usar o wi-fi do aeroporto pra pedir um Uber, mas havia parado de funcionar 🙁 Então contratamos o transfer com a Transvip e eles nos deixaram na porta do nosso apartamento pelo valor de 14.000 pesos chilenos (cerca de 70 reais). Como ainda não havíamos feito câmbio, pagamos com o cartão de crédito.

Chegamos no nosso apartamento, alugado pelo Airbnb, por volta das 17h e a Carmela estava nos esperando para nos mostrar o apartamento. Além disso, ela nos deu dicas sobre as rendondezas e nos passou seu número para qualquer emergência. Estávamos hospedados no centro da cidade, então fomos andando para a Rua Agustinas, onde vi, pelas minhas pesquisas na internet, que havia o melhor câmbio. Levamos reais em espécie para trocarmos por pesos chilenos e, na data de 01.08.2017 a cotação estava: 1 real = 188 pesos chilenos, na AFEX que fica em torno do número 1056 dessa mesma rua.

Na mesma rua compramos um chip para o nosso celular, com o intuito de poder usar a internet (e o Google Maps né, haha). E de lá fomos andando para o metro Universidad de Chile, onde compramos nossas tarjetas BIP que é como o bilhete único de São Paulo e pegamos o metrô com direção ao Shopping Costanera Center.

Chegando ao shopping, preciso dizer que fiquei extasiada! Lojas como Victoria’s Secret, Abercrombie, H&M… Confesso que entrei nessas lojas, mas depois saí correndo, pois os valores eram absurdos! HAHAHAHAHA Depois de darmos uma bela volta no shopping e comermos um big lanche (os lanches são enormes em Santiago, divida com alguém), fomos ao Supermercado Jumbo que admito… foi meu paraíso em Santiago! Nunca achei que ia me apaixonar por um mercado, mas ele era enorme e tinha tanta variedade de comida, que fiquei besta!

Por fim, compramos as coisas para nosso café da manhã da semana e eu comprei uns docinhos a mais :3 E sei que vai parecer desconexo, mas o presunto de Santiago é o melhor que já comi na minha vida. Comprem. E sim, eles também tem queijos deliciosos. Porém, não fiquem tão animados, pois comida é caro no Chile. E só mais um adendo: prestem atenção para não comprarem água com gás. Eu estava morrendo de sede e, quando fui abrir nossa garrafa de água, voou água pra todo lado pois tcharán! Eu comprei água com gás sem querer 😛

WhatsApp Image 2017-09-13 at 13.12.54

Esse foi o nosso café da manhã prático de todos os dias 🙂

Após comprarmos o que precisávamos, pegamos o metrô de volta pro apartamento e fomos andando tranquilamente da estação até ele. Chegamos mortos no apartamento, tomamos um banho delicioso naquele chuveiro sensacional e capotamos.

Esse foi o segundo post da viagem e nos vemos no próximo, onde falarei do lugar mais lindo que já fui na vida: Cajón del Maipo <3

Com amor, Li.

Postado por Lilian


Deixe o seu comentário

Uma resposta para "CHEGANDO EM SANTIAGO: PRIMEIRO DIA DE VIAGEM"

CAJÓN DEL MAIPO E NOSSO SEGUNDO DIA DE VIAGEM — Meu Jardim Interior - 17 setembro 2017 às 18:22

[…] pessoal! Tudo bem? Como vocês viram no último post, nosso primeiro destino da viagem foi Santiago do Chile. Porém, como chegamos à tarde, tivemos […]

Meu Jardim Interior • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por