ESCREVA UMA CARTA PARA SI MESMA

ESCREVA UMA CARTA PARA SI MESMA

05 • 02 • 2017

cartas

Não lembro onde vi isso pela primeira vez, mas é só eu vasculhar minhas coisas que certamente encontrarei cartas escritas de mim para mim mesma dos últimos três anos pra cá.

Gosto de sentar em algum lugar que seja confortável para mim, escolho as folhas de fichário que encontro nas minhas coisas de papelaria, selecionando as mais bonitas. Paro, penso um pouco em tudo o que estou vivendo e tudo o que eu quero alcançar. E, simples assim, começo a escrever.

Permito que as palavras fluam por mim, sem parar mais para pensar no que estão se tornando. Só escrevo tudo o que vier a mente. Escrevo sobre meus dias, sobre os desafios que tenho enfrentado, sobre as pessoas que tem feito parte dos meus dias. Depois, conto tudo o que quero realizar no ano, ou em um período de tempo definido. Pois uma das coisas que acho mais legais sobre escrever uma carta para si mesmo, é que depois, quando lemos aquela carta depois de 1, 5 ou 10 anos, percebemos muito sobre nós mesmos e nos autoconhecemos.

E, ao fazer isso, nós aprendemos, percebemos e compreendemos tanta coisa…

Fica claro pra gente o quanto podemos mudar: em uma semana, em um ano, em uma década. Os sonhos mudam, as prioridades também. Mas também é legal ver que realizamos alguns sonhos que queríamos tanto alcançar. Perceber que um ano horrível, na verdade, teve um final incrível. Ver que aquele garoto que era somente nosso amigo se tornou nosso namorado; que aquela amiga tão próxima a nós se revelou uma pessoa falsa… A gente se conhece melhor e conhecemos quem está ao nosso redor também.

A gente percebe como as coisas que importam para nós mudam. Deixamos de ficar somente preocupados com o que os outros estão pensando de nós. Uma hora cansa e a gente passa a não dar a mínima. Começamos a valorizar mais os momentos familiares e a ver que, muitas vezes, as pessoas que continuarão fazendo parte da nossa vida são nossa família (mesmo com todas as brigas, os b.o. e etc).

Aprendemos a valorizar muito mais um verdadeiro amigo. E a respeitar o espaço dele. Acho que quando somos jovens, somos muito ansiosos. Eu sou, mas hoje respeito muito mais o espaço das pessoas. Sei que se elas não me responderam, é muito provavelmente porque estão na correria e não deu tempo. Sei que as pessoas e eu iremos errar. Que as vezes iremos ficar chateados um com o outro. Afinal, é normal. Mas que boas amizades sempre vão superar essas coisas ruins para verem o que há de melhor em nós.

Percebemos, também, que ser sincero é sempre a melhor opção. Mesmo que o outro não nos entenda. E que adiar algo que teremos que fazer um dia só nós dará muita ansiedade e nos fará ficar mal com nós mesmos.

Por isso eu sempre faço uma carta pra mim mesma, geralmente com o objetivo de lê-la um ano depois e comparar se realmente consegui realizar tudo o que queria. Faço isso usando folhas de fichário, envelopes e alguns adesivos pra decorar. Deixo em vários cantos da casa: na escrivaninha, no armário, em caixas de papelaria. E é sempre uma surpresa quando leio a carta… Muitas vezes, confesso, nem parece que foi escrita por mim.

Um tempo atrás descobri um site, chamado Cápsula do Tempo, onde você escreve uma espécie de carta para você mesmo sendo que você somente poderá lê-la dez anos depois. Dez anos. Dá pra pensar em quanto nós mudamos em 1 ano? Imagine em 10… Escrevi uma carta nesse site há mais de um ano e, confesso, não lembro nenhuma vírgula sequer do que escrevi. Mas a proposta causa em mim um efeito diferente e que eu gosto muito: me faz querer trabalhar bastante para que daqui 9 anos eu veja uma Lilian que realizou muito mais sonhos do que podia imaginar.

Com amor, Li.

Postado por Lilian
Nas tags: / /


Deixe o seu comentário

Meu Jardim Interior • todos os direitos reservados © 2019 • powered by WordPress • Desenvolvido por