Arquivos Pessoal — Página 15 de 15 — Meu Jardim Interior

SAUDADES, SAUDADES

10 • 07 • 2016

13521836_1048221268589865_5675472065465175970_n

Saudades daquele tempo em que podíamos ter sentimentos. Em que podíamos dizer ao outro que o amávamos e que realmente sentíamos aquilo. Saudades de quando fazíamos uma amizade e queríamos que ela fosse eterna. E, enquanto acreditamos, ela foi. Saudades de quando nós não éramos tão incrédulos e nossos corações não eram tão frios.

Ainda me lembro de quando eu era criança. Eu podia ser sincera. As pessoas não se zangavam comigo quando eu era sincera, mesmo que deixasse a situação embaraçosa. Eu podia falar que ela estava errada e ela não me odiaria por isso. Hoje as pessoas só ficam perto de pessoas que falam o que elas querem ouvir.

Sinto falta da época em que fazer amizade se resumia em gostar de alguém e perguntar: “quer ser minha amiga?” Se sim, dávamos os dedos mindinhos e já éramos super amigas. Sinto falta de quando tinha tempo pra dormir na casa das amigas. Era tudo tão divertido. Festa do pijama, filmes, brincadeiras e saber que eu tinha mais de um lar.

Sinto falta de quando eu não tinha medo. Medo de cair: me jogava mesmo. Andava de bicicleta e primeiro ralei muito meus joelhos. Triste mesmo era a hora de passar Mertiolate. Socorro, alguém lembra? Não tinha medo de me decepcionar com as pessoas também. Eu me entregava muito em todos os relacionamentos; em todas as amizades. E no meio de tão poucas amizades, considerava tanta gente verdadeiros amigos.

Sinto falta de fazer uma festa de aniversário no quintal de casa e a festa lotar. Família, amigos, amigos de trabalho da minha mãe, vizinhos, gente agregada… Você chamava 50 e vinham 100. Era carne louca, torta, bolo caseiro. E sacolinha surpresa ou bexigão. Ô saudade! E nos divertíamos tanto! Mesmo os adultos não se preocupavam em impressionar nem estavam com pressa pra ir embora em outros compromissos. Também não ficavam alienados no celular. As pessoas ali apreciavam a companhia uma da outra. Sinto falta de quando apreciávamos a companhia de quem estava por perto.

Saudades até daquelas paixonites de escola que nos faziam ouvir loucamente Sandy & Junior ou RBD. Saudades de estar rodeada de sonhos e não deixar que a procrastinação os empurrasse para depois. Por que não correr atrás agora? Por que não realizar?

Saudades de uma vida que se completava na felicidade da simplicidade dos momentos. Saudades da macarronada da vó aos domingos e a família toda reunida. Saudades de irmos juntos à igreja. Saudades do amor gratuito. Saudades da preocupação genuína.

Saudades, quantas… saudades.

Com amor, Li.

Postado por Lilian
Nas tags:

GRATIDÃO

20 • 06 • 2016

IMG_2088

 

Perdemos muito tempo das nossas vidas sendo ingratos. Reclamando porque hoje está frio ou calor, porque a gasolina está cara, porque choveu, porque perdeu o ônibus, porque acordou atrasado, porque tem que levantar pra ir trabalhar. Reclamamos e, automaticamente, tornamos nossos dias tristes e angustiantes.

Gratidão é uma mudança que só nós mesmos podemos fazer nas nossas vidas. Se paramos de resmungar pelos cantos e agradecemos, por qualquer coisa, nossa vida muda. Na nossa mente, surgem novos motivos para agradecermos. Tente durante um instante: pense em algo pelo qual você é grato hoje. Pensou? Vale qualquer coisa: nem que seja pela cama quentinha que você tem para dormir à noite. Agora se pergunte: eu só tenho isso para agradecer? Se a resposta for não pegue seu celular ou um pedaço de papel e anote todas as coisas que vierem à sua mente. Todas aquelas pelas quais você é realmente grato e deixe em um lugar onde você possa ver sempre. Para que toda vez que olhar pra essa lista, você lembre de que sua vida é repleta de coisas boas.

Quando começamos a praticar a gratidão, tudo muda. Mas muda como? Nosso coração, sempre tão frio, se abre. E nele entra amor, alegria, paz. Quando eu antes de dormir penso em pelo menos uma coisa pela qual sou grata, vou dormir com um sorriso no rosto. Só de pensar que alguém cozinhou pra mim no dia, sinto conforto e carinho por alguém ter feito algo com cuidado para mim. Quando penso nas mensagens de bom dia que recebo, agradeço pelas pessoas que se importam o suficiente para me desejarem um bom dia. Quando vejo trabalhos bons (sejam livros, séries, blogs etc) fico grata pela pessoa tirar um tempo dela e se dedicar a algo que é tão útil para mim.

E se praticamos a gratidão todos os dias, nossa qualidade de vida aumenta. Nos sentimos mais amados, mais cuidados. Por isso, acabamos distribuindo mais amor por onde passamos. É como uma corrente do bem: um influencia o outro.

E você, pelo que é grato? Sinta-se à vontade pra dividir algo pelo que é grato por aqui ou nas redes sociais. Dividir coisas boas nunca é demais, né?!

Com amor (e gratidão), Li.

Postado por Lilian
Nas tags: /

Meu Jardim Interior • todos os direitos reservados © 2019 • powered by WordPress • Desenvolvido por